BATALHA ESPIRITUAL

 

Batalha Espiritual

 

— “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Bíblia Sagrada)(Mat. 26: 41).

 

 

                                                   BATALHA ESPIRITUAL          

 

 

P 01

— “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Bíblia Sagrada) (Mat. 26: 41). Batalha Espiritual é uma realidade bíblica que consiste na luta contínua da Igreja de Cristo contra o reino das trevas, contra os males deste Mundo que temos para viver. — “Semelhantemente vós, jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, há seu tempo, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos em todo mundo”. (Bíblia Sagrada) I Ped. 5: 5-9.

A presença e a influência do mal na vida da criação, muito especialmente na vida da humanidade, desafiando o equilíbrio da criação, é suficiente para entendermos a sua realidade: Estamos numa batalha espiritual. Estamos num campo de batalha espiritual contra as forças satânicas e precisamos de estratégia e adestramento para entrar em combate, lutarmos e vencermos. Os desafios das forças invisíveis dos espíritos imundos são imensos contra a criação, muito especialmente contra a humanidade, e principalmente contra a Igreja de Cristo, espalhada por esse mundo de Dor que aí está. Todos devem saber que neste mundo, entre os Céus e a terra, existem diversos poderes atuando. Um poder divino, maior e, seres destinados a impedirem a vida Santificada dos verdadeiros cristãos, e até mesmo suas benções e orações, os espíritos malignos movidos pelo orgulho de seu líder (lúcifer = satanás, o adversário de Deus, o inimigo das nossas almas). A demonstração clara de uma destas batalhas, está descrita no livro do profeta Daniel.

— “E me disse: Daniel, homem muito amado, entende as palavras que vou te dizer, e levanta-te sobre os teus pés, porque a ti sou enviado. E, falando ele comigo esta palavra, levantei-me tremendo. Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia”. (Bíblia Sagrada) (Dan. 10: 11-13).

 

Alguns dos aspectos da Batalha Espiritual são os níveis, nos quais ela se dá:

na mente no coração no corpo físico na família na igreja na vida financeira na vida espiritual.

 

P 02

  1. BATALHA ESPIRITUAL

A autêntica batalha espiritual tem fundamentos bíblicos, mas nem tudo o que se diz ser batalha espiritual tem sustentação nas Escrituras.

 

  1. Conceito de Batalha Espiritual.

A Bíblia Sagrada afirma que todo o mundo está no maligno: — Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. (Bíblia Sagrada) I João 5: 19. Assim, existem seres malignos e espirituais que desde o princípio conspiram contra Deus e contra a Sua linda e amada criação para a destruição e o caos no mundo que aí está. Primordialmente, os espíritos malignos, conhecidos como demônios, existem, eles são anjos rebeldes, e consequentemente caídos da Graça de Deus; eles são reais e manifestam-se de várias maneiras, em princípio, nas pessoas possessas, e tais espíritos precisam ser expulsos, serem excluídos das vidas das pessoas. Por conseguinte, os cristãos se opõem a essas forças malignas pela pregação do evangelho, a oração e o poder da Palavra de Deus. A essa oposição dos cristãos é o que denominamos de: (batalha espiritual). A batalha espiritual não é uma batalha natural entre a carne e o sangue. Não é uma batalha do ser humano contra ser humano. Não é uma batalha visível. É um conflito invisível no mundo espiritual.

— Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. (Bíblia Sagrada) Efé. 6: 12. Uma vez que estamos lutando contra um adversário que não podemos ver, devemos confiar na Graça e no Poder de Deus que possa nos alcançar, e nos dar força para lutarmos, e assim Graça para vencermos – nunca confiando na nossa própria espiritualidade, sagacidade ou nossas estratégias de guerra carnal – para podermos assim alcançar a vitória. — (Porque andamos por fé, e não por vista.) (Bíblia Sagrada) II Cor. 5: 7. Devemos manter nossa mente voltada para as coisas de Deus em vez de especular sobre o próximo movimento do inimigo das nossas almas. — Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente. (Bíblia Sagrada) Filp. 4: 8.

 

A guerra espiritual é “multidimensional”, a qual significa que é travada em diferentes dimensões. Vejamos.

 

Uma batalha social entre o verdadeiro cristão e o mundo de Dor que aí está: — Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardarem a minha palavra, também guardarão a vossa. Mas tudo isso vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou. Se eu não viera, nem lhes houvera falado, não teriam pecado, mas, agora, não têm desculpa do seu pecado. Aquele que me aborrece, aborrece também ao meu Pai. Se eu, entre eles, não fizesse tais obras, quais nenhum outro têm feito, não teriam pecado; mas, agora, viram-nas e me aborreceram a mim e a meu Pai. Mas é para que se cumpra a palavra que está escrita na sua lei:

 

P 03

Aborreceram-me sem causa. Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da verdade, que procede do Pai, testificará de mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio. (Bíblia Sagrada) João 15: 18-27.

 

Uma batalha pessoal entre a carne e o espírito: — Quero dizer a vocês o seguinte: Deixem que o Espírito de Deus dirija as suas vidas e não obedeçam aos desejos da natureza humana. Porque o que a nossa natureza humana quer é contra o que o Espírito quer, e o que o Espírito quer é contra o que a natureza humana quer. Os dois são inimigos, e por isso vocês não podem fazer o que vocês querem. Porém, se é o Espírito de Deus que os guia, então vocês não estão debaixo da lei. As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: A imoralidade sexual, impureza, as ações indecentes, a adoração aos ídolos, feitiçarias, inimizades, consequentemente brigas, ciumeiras, os acessos de raiva,

ambição egoísta, desunião, as divisões, invejas, bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com essas. Repito o que já disse: Os que fazem essas coisas não receberão o Reino de Deus. Mas o Espírito de Deus produz o amor, alegria, paz, paciência, delicadeza, bondade, fidelidade, humildade e o domínio próprio. E contra essas coisas não existe lei. As pessoas que pertencem há Cristo Jesus crucificaram a sua natureza humana, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza. Que o Espírito de Deus, que nos deu a vida, controle também a nossa vida! Nós não devemos ser orgulhosos, nem provocar ninguém, nem ter inveja uns dos outros. (Bíblia Sagrada) Gál. 5: 16-26.

 

Uma batalha sobrenatural entre o cristão e os poderes sobrenaturais malignos: — Para terminar: Tornem-se cada vez mais fortes, vivendo unidos com o Senhor e recebendo a força do seu grande poder. Vistam-se com toda a armadura que Deus dá à vocês, para ficarem firmes contra as armadilhas do Diabo. Pois nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal que vivem nas alturas, isto é, os governos, as autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão. Por isso peguem agora a armadura que Deus lhes dá. Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir aos ataques do inimigo e, depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes, sem recuar. Portanto, estejam preparados. Usem a verdade como cinturão. Vistam-se com a couraça da justiça e calcem, como sapatos, a prontidão para anunciar a boa notícia de paz. E levem sempre a fé como escudo, para poderem se proteger de todos os dardos de fogo do maligno. Recebam a salvação como capacete e a palavra de Deus como a espada que o Espírito Santo lhes dá. (Bíblia Sagrada) Efé. 6: 10-17.

 

As vezes batalha espiritual é definida como o confronto invisível entre as forças de Deus e as forças do mal, o reino de Deus versus o reino das trevas. As vezes essa batalha provoca circunstâncias que podem ferir pessoas físicas, mental, emocional ou espiritualmente. No Novo Testamento, as forças das trevas sabiam que Paulo era servo de Deus e o atacaram. — Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus e bem sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?(Bíblia Sagrada) Atos 19: 15. — São ministros de Cristo? (Falo como fora de mim). Eu ainda mais: Em trabalhos, muito mais; em açoites, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes. (Bíblia Sagrada) II Cor. 11: 23.

 

P 04

— E, para que me não exaltasse pelas excelências das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de satanás, para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor, para que se desviasse de mim. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. (Bíblia Sagrada) II Cor. 12: 7-9.

 

A batalha espiritual consiste na oposição dos cristãos às forças malignas pela pregação do evangelho, pela oração e pelo poder da Palavra de Deus. Essa peleja vai continuar enquanto estivermos neste corpo, nesta vida.

 

  1. Uma realidade bíblica.

Cristãos ou não, todos estão envolvidos nesta Batalha Espiritual. Toda pessoa viva está comprometida nesta guerra, quer se dê conta ou não. Não há campo neutro. Os nãos cristãos estão sob o jugo do mal e têm sido levados pelas forças do inimigo. São vítimas da guerra. As hostes infernais dominam com muita facilidade as pessoas que não conhecem Deus nem a Sua Palavra. Nenhuma força humana é capaz de vencê-los. Jesus disse: Porque sem mim nada podereis fazer. — Eu sou a videira, vós as varas: Quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (Bíblia Sagrada) João 15: 5. Os verdadeiros cristãos têm sido livrados do inimigo mediante Jesus Cristo e são vitoriosos, porém estão ainda comprometidos nesta guerra.

Nós (todos os verdadeiros cristãos) combatemos contra as forças espirituais malignas. “Combater” implica contato pessoal próximo. Ninguém está isento desta batalha. Ninguém pode vê-la há distância. Você está no meio do conflito, quer você reconheça ou não. “Porque a nossa luta não é contra a carne e o sangue, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”. — Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. (Bíblia Sagrada) Efé. 6: 12.

O tema principal da Primeira Epístola do Apóstolo Pedro é o sofrimento do cristão por causa do nome de Jesus. Esse sofrimento resulta da nossa contínua luta espiritual contra o pecado e contra o indiferentismo religioso. Mas, ao encerrar a sua Epístola, o Apóstolo esclarece que tudo isso parte de satanás e seus agentes: “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar”. — Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. (Bíblia Sagrada) I Ped. 5: 8-9.

 

  1. O Mundo Espiritual é real.

De acordo com a Epístola de Paulo aos Efésios, existe um mundo espiritual e invisível habitado por seres malignos que conspiram contra Deus, e contra a Sua criação, muito especialmente contra a humanidade. Paulo fala sobre a existência de um mundo espiritual da maldade sob o domínio do príncipe das trevas. — Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. (Bíblia Sagrada) Efé. 2: 2.

 

P 05

O ensino apostólico nos exorta a combater essas forças demoníacas pelo poder que o Senhor Jesus conferiu aos cristãos com oração e uma vida de santidade. Esse conjunto de fatores é chamado de batalha espiritual. — E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. (Bíblia Sagrada) Mar. 16: 17-18. Trata-se de uma realidade bíblica e manifestada na vida da Igreja ao longo dos séculos. — E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam. E disse-lhes: Eu via satanás, como raio, cair dos Céus. Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum. (Bíblia Sagrada) Luc. 10: 17-19.

 

  1. O que não é Batalha Espiritual.

O que geralmente é chamado de “batalha espiritual” por alguns é um modelo não bíblico e nocivo à fé cristã. Os mentores dessa doutrina pinçam a Bíblia aqui e ali e adaptam as passagens selecionadas para ajustá-las às suas próprias experiências. Trata-se de uma cosmovisão abrangente de culturas antigas como a da Mesopotâmia e do Egito, influenciada pela magia e pelo ocultismo. Era na época um mundo cheio de forças ocultas em que os homens viviam procurando se proteger de deuses e demônios malévolos. É uma estrutura muito próxima do ocultismo contemporâneo com a doutrina dos espíritos territoriais, maldição hereditária ou de família com os rituais de libertação.

 

  1. PRINCIPAIS CRENÇAS DA PSEUDOBATALHA ESPIRITUAL

 

As inovações mais chocantes que se pregam por aí são o mapeamento espiritual, a maldição hereditária e a ideia de que um salvo em Cristo Jesus pode ser possuído pelos demônios. Na verdade se acontecer de se encontrar alguém vivendo no seio de uma verdadeiramente Igreja Cristã, e essa pessoa ser atacado por um espírito maligno, e possesso pelo mesmo, isso quer dizer que essa pessoa estava caída da Fé.

 

  1. Mapeamento espiritual.

A doutrina consiste na crença de que satanás designou seus correligionários para cada país, região ou cidade. O evangelho só pode prosperar nesses lugares quando alguém, cheio do Espírito Santo, expulsar esse espírito maligno. Em decorrência, surgiu a necessidade de uma geografia espiritual, o mapeamento espiritual. Os espíritos territoriais são identificados por nomes que eles mesmos teriam revelado, com as respectivas regiões que eles supostamente comandam. Essas pessoas acreditam que tudo isso se baseia na Bíblia Sagrada. Na verdade os espíritos malignos não são condicionados há árias, locais, ou regiões, eles apesar de tudo são espíritos, podem se locomover quando, e para onde quiserem.

O Livro do Profeta Daniel nos dá uma rápida ideia dessas interpretações, e como elas acabam funcionando. — Mas o príncipe do reino da Pérsia se pôs defronte de mim vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia. E disse: Sabes porque eu vim a ti? Eu tornarei a pelejar contra o príncipe dos persas; e, saindo eu, eis que virá o príncipe da Grécia. (Bíblia Sagrada) Dan. 10: 13, 20. — E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? E lhe respondeu, dizendo: Legião é o meu nome, porque somos muitos. E pedia-lhe muito que os não enviasse para fora daquela província. (Bíblia Sagrada) Mar. 5: 9-10.

 

P 06

E assim aqui dá para nós termos uma noção do que era, e ainda acontecem nos nossos dias, falsas batalhas espirituais.

 

  1. A maldição hereditária.

A doutrina resume-se nisso: Se uma pessoa tem problemas com adultério, pornografia, divórcio, alcoolismo ou tendências suicidas é porque, no passado, alguém de sua família, não importa se avós, bisavós ou tataravós, teve esse problema. Desse modo, a pessoa afetada pela maldição hereditária deve, em primeiro lugar, descobrir em que geração seus ancestrais deram lugar ao diabo. Uma vez descoberta a tal geração, pede-se perdão por ela, e dessa forma, a maldição de família será desfeita. É uma espécie de perdão por procuração, muito parecido com o batismo pelos mortos praticado pelos mórmons. Os que defendem essa doutrina recorrem as Escrituras em busca de sustentação bíblica. — Não te encurvarás a elas nem as servirás: Porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem. (Bíblia Sagrada) Êxo. 20: 5. — Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que cochicham e murmuram entre os dentes; — não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos? (Bíblia Sagrada) Isa. 8: 19.

 

  1. “Cristãos endemoninhados”.

Esses pregadores ensinam que “o homem é um espírito que tem alma e habita num corpo” (Kenneth Hagin). Partindo desse falso conceito teológico, afirmam que o Espírito Santo habita no espírito humano no processo de salvação; e que os espíritos imundos “estão relegados a alma e ao corpo do cristão”. Os promotores dessa doutrina costumam apelar para o estado psicológico de Saul, o primeiro Rei de Israel depois que ele se afastou de Deus: — E o espírito do Senhor se retirou de Saul, e o assombrava um espírito mau da parte do Senhor. E aconteceu ao outro dia que o mau espírito da parte de Deus se apoderou de Saul, e profetizava no meio da casa: E Davi tangia a harpa com a sua mão, como de dia em dia: Saul porém, tinha na mão uma lança.

Porém o espírito mau da parte do Senhor se tornou sobre Saul, estando ele assentado em sua casa, e tendo na mão a sua lança, e tangendo Davi com a mão o instrumento de música. (Bíblia Sagrada) I Sam. 16: 14. 18: 10. 19: 9. Segundo nos está escrito, o Apóstolo Judas Iscariotes, o homem que teria traído o Senhor Jesus, teria sido acometido por um espírito maligno. — Entrou, porém, satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze; (Bíblia Sagrada) Luc. 22: 3. A Igreja de Cristo vivendo sobre a Terra nestes últimos Dois Mil Anos, já passou por cada situação que as vezes chega há ser difícil até mesmo de se acreditar.

Bem no começo, na Igreja ainda em Jerusalém foi determinado que os membros deveriam vender as suas propriedades e trazer o valor para a Igreja, para os Apóstolos administrarem dividindo com os membros para que todos tivessem como sobreviver. Mas aconteceu que um casal no meio daquela congregação, vendendo uma propriedade, trouxe apenas parte do capital, retendo assim parte do dinheiro. O casal em questão chamava-se: Ananias e Safira, sua esposa. — Perguntou, então, Pedro: Ananias, por que encheu satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da propriedade vendida? (Bíblia Sagrada) Atos 5: 3. A história nos conta que após essa pergunta do Apóstolo Pedro, a qual acabamos de ler, o casal Ananias e Safira, caíram mortos.

 

P 07

Na minha maneira de ver trata-se de uma situação bem delicada, mas é o que está escrito. — E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram. (Bíblia Sagrada) Atos 5: 5.

 

III. VAMOS À BÍBLIA

 

Ninguém tem o direito de fazer o que quiser com a Bíblia. Vejamos, portanto, o que Bíblia Sagrada ensina nas passagens reivindicadas pelos líderes defensores dessa inovação:

 

  1. Sobre o mapeamento espiritual.

As duas passagens de Daniel falam sobre o “príncipe do reino da Pérsia” e o “príncipe da Grécia”. — Mas o príncipe do reino da Pérsia se pôs defronte de mim vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia. E perguntou-me: Sabes porque eu vim a ti? Eu tornarei a pelejar contra o príncipe dos persas; e, saindo eu, eis que virá o príncipe da Grécia. (Bíblia Sagrada) Dan. 10: 13, 20. São citações fora de contexto, pois se trata de guerra angelical, e não há indícios da presença humana. O gadareno “pedia-lhe muito que os não enviasse para fora daquela província” porque Jesus havia mandado os tais espíritos para o abismo: — E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? E lhe respondeu, dizendo: Legião é o meu nome, porque somos muitos. E pedia-lhe muito que os não enviasse para fora daquela província. (Bíblia Sagrada) Mar. 5: 9-10. “E pediam-lhe que não os mandasse para o abismo”. Essa é a razão de pedirem para ficar na região; não se refere, portanto, a espíritos territoriais. Assim, fica claro que se trata de uma doutrina baseada numa interpretação equivocada.

 

  1. Sobre a maldição hereditária.

No segundo mandamento do Decálogo, Deus afirma visitar “a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que o aborrecem”. — Não te encurvarás a elas nem as servirás: Porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem. (Bíblia Sagrada) Êxo. 20: 5. — Não te encurvarás a elas, nem as servirás: Porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais sobre os filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, (Bíblia Sagrada) Deu. 5: 9. Essas palavras não podem se aplicar à doutrina da maldição hereditária porque, quando alguém se converte há Cristo, deixa de aborrecer há Deus; logo, essa passagem bíblica não pode se aplicar aos cristãos, pois estes se tornam novas criaturas, “as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.

— Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. (Bíblia Sagrada) Rom. 5: 8-10.  — Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: As coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. (Bíblia Sagrada) II Cor. 5: 17. O que eles fazem com a expressão “espíritos familiares” é uma fraude. O termo usado na Bíblia Sagrada hebraica é ov, ou ovoth, plural, “médium, espírito, espírito de mortos, necromante e mágico”. Isso está muito longe de serem espíritos que passam de pai para filhos.

 

P 08

— Não vos virareis para os adivinhadores e encantadores; não os busqueis, contaminando-vos com eles: Eu sou o Senhor vosso Deus. Quando uma alma se virar para os adivinhadores e encantadores, para se prostituir após deles, eu porei a minha face contra aquela alma, e a extirparei do meio do seu povo. (Bíblia Sagrada) Lev. 19: 31. — 20: 6.

 

  1. Sobre a possibilidade de o cristão ser possesso.

É bom lembrar que nessa época, o Rei Saul já estava desviado da Graça de Deus. — Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça a palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. Então disse Saul à Samuel: Pequei porquanto tenho traspassado o dito do Senhor e as tuas palavras: Porque temi ao povo e dei ouvidos à sua voz. (Bíblia Sagrada) I Sam. 15: 22-24. Além disso, a Bíblia Sagrada não fala de demônio, mas que “o assombrava um espírito mau vindo da parte de Deus”. — E o espírito do Senhor se retirou de Saul, e o assombrava um espírito mau da parte do Senhor. (Bíblia Sagrada) I Sam. 16: 14.

Quem foi que disse que Judas Iscariotes era um verdadeiro Cristão? Foi Jesus quem disse: “Não vos escolhi a vós os doze? E um de vós é um diabo. E isso dizia ele de Judas Iscariotes”. — Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? E um de vós é um diabo. E isto dizia ele de Judas Iscariotes, filho de Simão; porque este o havia de entregar, sendo um dos doze. (Bíblia Sagrada) João 6: 70-71. E, quanto a Ananias e Safira, a Bíblia Sagrada declara que eles mentiram ao Espírito Santo, o que não bate, e não que ficaram possessos. O crente em Jesus tem a promessa de Deus de que “o maligno não lhe toca”. — Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca. (Bíblia Sagrada) I João 5: 18.

 

  1. O homem segundo a Bíblia.

Jesus disse que “um espírito não tem carne nem ossos”. — Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo: apalpai-me e vede; pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. (Bíblia Sagrada) Luc. 24: 39. Se o espírito não tem carne nem ossos, logo se conclui que não é verdade que o homem seja um espírito. A Bíblia Sagrada declara que Deus formou “o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”. — E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. (Bíblia Sagrada) Gên. 2: 7. Isso mostra que o ser humano é uma combinação do pó da terra com o sopro de Deus. Aliás, o ser humano é formado de: Corpo, alma e espírito. O Senhor Jesus se fez homem, pois “o verbo se fez carne”. — E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. (Bíblia Sagrada) João 1: 14.

 

  1. LIDANDO COM A BATALHA ESPIRITUAL

Quando uma pessoa nasce de novo, entra no reino do sobrenatural e espiritual e deve começar sua nova vida com o estudo da Bíblia Sagrada. Assim, conhecerá seus ensinamentos e saberá como andar e como lidar com a batalha espiritual.

 

P 09

Se ela não ficar vigilante e não combater os poderes satânicos será passível de ser derrotada pelos espíritos malignos. Por outro lado, não haverá nada há temer se tiver uma vida cristã consciente da necessidade de leitura bíblica e orações diárias, e viver no Espírito de acordo com a luz recebida pela Palavra de Deus. — Portanto, já que vocês aceitaram Cristo Jesus como Senhor, vivam unidos com ele. Estejam enraizados nele, construam a sua vida sobre ele e se tornem mais fortes na fé, como foi ensinado a vocês. E deem sempre graças a Deus. Tenham cuidado para que ninguém os torne escravos por meio de argumentos sem valor, que vêm da sabedoria humana. Essas coisas vêm dos ensinamentos de criaturas humanas e dos espíritos que dominam o Universo e não de Cristo. (Bíblia Sagrada) Col. 2: 6-8. — Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos lava, e nos purifica de todo o pecado. (Bíblia Sagrada) I João 1: 7. Ela deve acordar toda manhã e orar, crendo com fé que Deus a ajudará durante o dia, meditar sempre nas Escrituras Sagradas e recusar tudo o que venha a ser contrário à vontade de Deus, segundo os ensinamentos bíblicos.

 

  1. Responsabilidade do cristão diante da Batalha Espiritual.

1.1. Tome cuidado para não negligenciar o que trará esclarecimento sobre a batalha espiritual. — Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para REPREENDER, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra. (Bíblia Sagrada) II Tim. 2: 15. 3: 15-17.

 

1.2. Não se torne uma presa fácil às críticas dos outros nem aos cuidados prementes da vida que o mantêm ocupado, impedindo-o de empenhar-se na batalha e obter êxito. — E olhai por vós, para que não aconteça que o vosso coração se carregue de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia. Porque virá como um laço sobre todos os que habitam na face de toda a terra. Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejam havidos por dignos de evitar todas essas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do Homem. (Bíblia Sagrada) Luc. 21: 34-36.

 

1.3. Não se esqueça de que bastam as armas espirituais para lhe dar vitória sobre o pecado e sobre o inimigo das nossas almas. — Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus, para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; E estando prontos para vingar toda a desobediência, quando for cumprida a vossa obediência. Olhais para as coisas segundo a aparência? Se alguém confia de si mesmo que é de Cristo, pense outra vez isto consigo, que, assim como ele é de Cristo, também nós de Cristo somos. (Bíblia Sagrada) II Cor. 10: 4-7.

 

P 10

1.4. Não negligencie a oração e nem a leitura da Bíblia Sagrada. — Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos, (Bíblia Sagrada) Efé. 6: 18. — Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina: Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem. (Bíblia Sagrada) I Tim. 4: 16.

 

1.5. Não se desanime quando parecer que você está perdendo a guerra. — Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas. (Bíblia Sagrada) I Tim. 6: 12. — Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. (Bíblia Sagrada) II Tim. 4: 7. — Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, honra, e glória na revelação de Jesus Cristo; Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; (Bíblia Sagrada) I Ped. 1: 7. 4: 12.

 

1.6. Fique alerta e resista ao adversário de Deus, o inimigo das nossas almas. — Sujeitai-vos pois há Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. (Bíblia Sagrada) Tia. 4: 7. — Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. Ao qual resisti firmes na fé: sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. (Bíblia Sagrada) I Ped. 5: 8-9.

 

1.7. Não deixe de usar a autoridade de Cristo por meio de seu precioso sangue, de seu nome e do poder do Espírito Santo contra os poderes demoníacos deste mundo de Dor que aí está. — Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia Samaria, e até aos confins da terra. (Bíblia Sagrada) Atos 1: 8. — Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas; porque eu vou para meu Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei. Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. (Bíblia Sagrada) João 14: 12-15.

 

1.8. Não deixe de realizar a vontade plena de Deus, de forma racional, a medida que tomar conhecimento dela. E assim procure andar na luz da Palavra de Deus. — Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos lava, e nos purifica de todo o pecado. (Bíblia Sagrada) I João 1: 7.

 

CONCLUSÃO. Há necessidade de equilíbrio para que os exageros dessas aberrações doutrinárias não levem o cristão ao ceticismo, porque a batalha espiritual existe e ninguém deve subestimá-la. Os fatos estão registrados na Bíblia Sagrada, e nenhum cristão ousa negar essa realidade. Por outro lado, os cristãos devem ter maturidade suficiente para não entrar no fanatismo, mas discernir entre o que é verdadeiramente espiritual e o que é manipulação esotérica.

 

Transcrito por:

 

Pr. Manoel Teixeira

Site: www.assotera.com

E-mail: man.tex@hotmail.com

Fones: (47) 3248-5126 / Cel. 99985-7616 WA

ASSOCIAÇÃO TEOLÓGICA RENASCER

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.